21.1.07

emprego ou exploração?

Observem bem esta oferta de "emprego"!

Quantos de nós desejariam que o Sindicato Nacional dos Profissionais de Serviço Social e a Associação de Profissionais de Serviço Social tivessem uma palavra a dizer?!
É escandaloso o estado de coisas... e é-o a vários níveis:
- pela ausência de um posicionamento sólido sobre a formação em Serviço Social;
- pela ausência de um posicionamento sobre as habilitações para o exercício profissional;
- pela existência da oferta deste "emprego";
- pela omissão e demissão de quem deveria defender os interesses da profissão, dos trabalhadores e, enfim, dos cidadãos!

A situação era já esperada, aliás... com a proliferação de cursos nos politécnicos...

Exigimos um posicionamento! O quanto antes!

9 comentários:

joaquim disse...

Cara Sónia

Este anúncio de emprego não é virgem. No norte de Portugal, no ano passado e em 2005, pelo menos dois anúncios parecidos, um saíu num jornal nacional, apareceram. Num deles a averiguação final é que quem geria aquela IPSS desconhecia sequer as habilitações minimas de um Assistente Social (pensava que não era necessário um Curso Superior, avaliando pelo trabalho de uma colega que a senhora conhecia...). Portanto a defesa deste estatuto começa em todos nós, quando no deixamos levar pelo senso comum.

Quanto ás Associações que fala, gostaria que fosse mais clara. Porque em verdade existe uma Associação dos Profissionais e um Sindicato que se presumem representativos e intervêm directamente nesses assuntos. A AIDSS e CPIHTS, são estrturas vocacionadas para um patamar de promoção científica, da formação e investigação, não incidem propriamente na reinvindicação. Embora possam, enfim, assumir posições, de algum modo limitadas pela legitimidade.

Às vezes devemos ser menos emocionais e mais racionais, na nossa capacidade de análise. Aliás a AIDSS, no passado sempre que tomava posições desse calibre era chamada a atenção por não ser uma Associação desse carácter. O seu ao seu dono.
Não invalida, no entanto, que estejamos atentos e validade deste post.

S Guadalupe disse...

a falta de clareza foi um lapso que prontamente corrijo.

A tomada de posição deve ser clara e em bom som... há muito boa vontade de todos, mas tem de haver mais que isso... insistência, coragem e força!

S Guadalupe disse...

Já agora, sugiro que enviem um pedido de posicionamento ao Sindicato (SNPSS) e à Associação (APSS).

SNPSS
SINDICATO NACIONAL DOS PROFISSIONAIS SERVIÇO SOCIAL
SEDE: Rua Luciana Cordeiro, 18 3.3 - Ota - 1150-205 Lisboa - Tel/Fax 213537563
DELEG: Rua Sá da Bandeira, 331 – 4º- Sala 47 - 400-135 Porto - Tel/Fax 222055244

APSS
http://www.apss.web.pt/
217615350/51/52/53/54/56/57/58/59
FAX 21 793 93 41
Av. Visconde Valmor, nº77 - 1º Dt.º 1050-239 Lisboa
E-mails apss_dn@yahoo.com Ricgod@aeiou.pt

António Duarte disse...

É realmente vergonhoso. Espero que a nova entidade reguladora do Ensino Superior que este governo promoteu vir a ser criada, olhe para o caso do Serviço Social. Penso também que caso esta venha a surgir, a APSS e o Sindicato têm de se pronunciar, pois pode ser uma oportunidade para esclarecer todas estas confusões acerca da formação em Serviço Social.

marta disse...

Concordo e assino por baixo. No interior do país é ainda muito desqualificada a intervenção da "senhora da assistência". Temos que INSISTIR com QUALIDADE.
abraços
marta

Anónimo disse...

A Associação de Profissionais tem andado a dormir ou reage aos impulsos do H. dos capuchos ou dos contras de Almada. É pena mas não temos Associação...

S Guadalupe disse...

Houve uma enorme expectativa em torno da nova direcção, que, imagino, por razões várias (as quais desconheço e sobre as quais não me pronuncio), não tenha tido as condições de dinamizar a categoria profissional como pretendia.

Incomoda-me, sobretudo, o silêncio!

Silêncio relativamente a assuntos fundamentais e interesses da catergoria...

Houve oportunidades de ouro que foram deixadas cair!
Ainda agora esta situação da polémica em torno da regulação do poder paternal... houve algum assistente social no debate público?!? Há alguma posição por parte da APSS ou do Sindicato?

Esta situação deste anúncio de emprego poderia levar a APSS a por em tribunal o Estado por não mexer uma palha para regulamentar a profissão. Nem que juridicamente fosse ridículo e sem fundamento, criava-se um "facto político" e poderia vir a discutir-se profundamente esta questão...

A inércia a que assistimos a eete nível é assustadora, mas acredito que ainda vai mudar. Resta-me ter optimismo!

Anónimo disse...

Concordo! Talvez seja uma manifestação da muita ignorância que os pseudo lideres da classe nos andaram a esconder! Esse combate faz-se quando há investigação séria e conhecemos os problemas e não nas posições aprioristicas, radicais e muitas vezes em contramão com a ciencia! Há que animar os novos com um novo espirito e novos métodos

Anónimo disse...

A Associação nunca existiu literalmente excepto,para meia dúzia, que através dela e com ela, tinham aí,uma forma de se "entreterem" como os " pobres" que já não acompanham porque são cabeças pensantes.

Mudar, acredito que sim fazendo uma nova, e deixando esses sempre " mesmos " do costume,à porta. Senão, é sempre do mesmo.