5.2.07

Petição Assistentes Sociais pela Ordem

Caros colegas
Assistentes Sociais
e demais cidadãos que concordam com a
criação de uma ORDEM dos ASSISTENTES SOCIAIS.

ASSINEM AQUI:
http://www.petitiononline.com/ordemas/petition.html

CONTO CONVOSCO e com o vosso PODER de MOBILIZAÇÃO.
Está nas vossas mãos o sucesso da iniciativa!
Divulguem o mais possível. INSISTAM!

Obs.
- no campo "cidade", coloquem a capital do Concelho ou Distrito
- tenho a informação de que há pessoas que não conseguem ler correctamente o texto, pois aparece desformatado. Leiam abaixo o texto na íntegra. Estou a tentar perceber o problema e resolvê-lo.

24 comentários:

Anónimo disse...

Não percebo o porquê de uma criação de uma ordem para assistentes sociais. As ordens existem para defender os interesses de profissionais liberais, como advogados, médicos, economistas. Já existe uma ordem que acho que não deveria existir que é a dos enfermeiros. Se é criada a Ordem dos Assitenntes Sociais, então qualquer dia teremos todas as profissões reguladas por ordem: professores, psicologos, sociologos, antropólogos etc etc.

Alexandra disse...

As ordens existem para defender os interesses de profissionais liberais como medicos, econonomistas??? Entao e os outros profissionais sao menos que esses é???
Sinceramente achei o comentario de cima ridiculo... e ainda por cima se esconde atras de um "anonimo"...
Enfim...

marta disse...

Vá lá... então e a liberdade de expressão?
Há espaço para discordar neste blog.
Eu por mim acho seria importante um qualquer orgão que defendesse o profissional...

marta disse...

as boas práticas, a formação, enfim, que lutassemos por uma dignificação da nossa classe.

Susana Melo disse...

Concordo com a Marta, mas se as ordens são para profissionais liberais, como refere "o anónimo" porque é que temos colegas assistentes sociais que para trabalhar como assistentes sociais, tiveram de se colectar e passar recibos? Afinal, quase que se pode dizer que também existem assistentes sociais profissionais liberais, como os economistas, médicos...
De facto é importante concretizar um movimento, seja ordem ou outro qualquer, que envolva toda a nossa classe.

marta disse...

Importante, importante é verificar o número de assistentes sociais que já assinaram a petição. Alguma coisa significa!

S Guadalupe disse...

Recomendo que o anónimo leia atentamente o parecer de Vital Moreira sobre os estatutos no blog "ordem dos assistentes sociais" (que encontra nos links ao lado).

De facto faria sentido, se o estatuto sócio-profissional dos assistentes sociais fosse ainda o mesmo que há umas décadas atrás.

Mas não é. É uma profissão cada vez mais desregulada. O principal empregador já não é o Estado e será cada vez menos a continuarem as políticas seguidas actualmente.

Mas é uma perspectiva...

joaquim disse...

A posição assumida pelo anónimo, sendo uma opinião, é reducionista e irreal no quadr actual do nosso país.
1. Médicos, economistas e advogados são profissões liberais hoje?
Os advogados na generalidade sim, de acordo. Mantêm, uma tradição, embora seja discutível hoje, o quadro em que se movem, no seio de grandes grupos de advogados, que de certa forma substituem o Estado em algumas advocacias, mas demos de barato
Os Médicos. Bom sempre foi uma profissão, com profissionais não liberais e profissionais liberais, a sua redefinição e clareza +e hoje uma das guerras entre ministro e médicos (pelo menos uma parte)
Economistas. Bom, aqui o caso será mais complexo, pois temos uma profissão integrada em sectores público e privado com regulmentações próprias. è evidente que existem economistas no exercício liberal, mas penso que não mais que outras profissões.

Depois, fala de enfermeiros e psciologos. Ora os primeiros já possuem Ordem (curioso não é!), e os segundo já tem aprovado na generalidade o seu estatuto na Assembleia da Republica (falta a definição na especialidade). os professores têm já um projecto também na Assembleia da República.
Finalmente os Assistentes Sociais também.
Portanto, ao contrário do que diz este é um movimento transversal e insere-se nas alterações profunas do mercado global(mundial) do trabalho, com a liberalização do diversos sectores, o declinio das funções do Estado e no caso do Serviço Social do Estado Social, que será inexorável, face à alteração etária da populção (menores conytibuições).
As profissões, as formações desregulam e tendem a agregar-se de forma corporativa, com objectivos diferentes, para impedir a total desregulação destes sectores fulcrais.
As politicas sociais, o combate á pobrezxa e exclusão, toxicodependência, coesão social, acção social, cuidados integrados e continaudos, etc, são àreas fundamentais num Estado de Justiça Social, não podem ter profissionais sujeitos aos ditames únicos de interesses patronais diversos e formações universitárias orientadas muitas vezes para o lucro.

Este é o quadro
É por isso que EXIGIMOS O MESMO TRATAMENTO, A ORDEM, com esta posição defendemos também os nosso utentes, quando todos saem reforçados neste combate.

Sandra disse...

Bem e porquê Ordem dos Assistentes Sociais? quando o que se pretende é cortar com o assistencialismo? Na minha opinião o que deveria ser criada era a Ordem dos Técnicos Superiores de Serviço Social... mas a mudança vai sendo gradual. Já fico feliz ao ver várias assinaturas de indivíduos que se assinam como Técnicos Superiores de Serviço Social.

marta disse...

Olha Sandra, já assinei como técnica sup. de serv. social. Agora, em paz com a minha profissão e com a minha identidade profissional, prefiro intitular-me de assistente social. Tento assim distanciar-me de uma postura técnicista ou até assistencialista.
Enfim, são opiniões.
Abraços

S Guadalupe disse...

Sandra,
eu cá ficou mais contente por ver as pessoas a assumirem a sua profissão.
Eu cá sou assisnete social e demarco-me bastante de uma postura "assistencialista" (coloco entre aspas, até porque o conceito tem muito que se lhe diga). Nunca fui Técnica Superior de Serviço Social, pois nunca estive ao abrigo da carreira Técnica Superior, que, como sabes, apenas existe para os assistentes sociais que integram entidades estatais.

Pensa lá bem... os Médicos são Técnicos de Medicina?

António Duarte disse...

Sandra, mas que posição mais ridícula! É por estas e por outras que existe um desnorte na nossa profissão. Conotares o nome da nossa profissão - assistente social - com o assistencialismo?? Que tem o cú a ver com as calças?? Já conheci muitos intitulados "técnicos superiores de serviço social" (uf até cansa...)que mantiveram todo o assistencialismo e incompetência que apresentavam antes! E remato evocando a Dra. Fernanda Rodrigues, presidente da APSS, que no encontro de ASSISTENTES SOCIAIS promovido no início do ano passado em Faro referiu alto e bom som que o nome da profissão é Assistente Social e integramos a carreira técnica superior de Serviço Social. E realmente dá logo um aspecto triste da organização da classe ir uma lista para AR com esse binómio identitário absolutamente ridículo que aos olhos de terceiros é confuso. Toda a gente nos identifica como Assistentes Sociais, sabem lá os utentes o que é isso de "técnicos superiores de Serviço Social"...Poupem-me.

varios disse...

Pessoalmente ja estou farto de argumentações. O debate em Serviço Social sobre este assunto ja foi realizado. O que temos de fazer é mobilizarmo-nos para a concretização do assunto em causa.
Existem inúmeros documentos nacionais e internacionais que podem ser consultados (artigos, livros, etc) O discurso inútil deve ser deixado de lado...
Em todas as escolas existem aulas de ética e deontologia ( pna às vezes serem dadas por outros profissionais )

Vamos para FRENTEX !!

Esta moda dos relogios .....

S Guadalupe disse...

O que é discutível tem de ser discutido.
´
É exactamente para isso que serve um espaço como este. Não se pode continuar sempre a "fugir com o rabo à seringa".

marta disse...

Bonito... um bom assistente social não foge a uma boa e produtiva (construindo) discussão.
Obrigado ao Insistente Social... Talvez daqui a uns tempos não haja anónimos a abrir os comentários.
Repito o que vários disse:
Vamos para FRENTEX !!
(São os relógios e o mapa com as estrelinhas e planetas).

António Duarte disse...

Peço desculpa se escrevi num tom um pouco mais agressivo utilizando um termo que não deveria ter empregue, mas relativamente a tudo o resto que escrevi, mantenho e reitero. Sou dado a discussões apaixonadas sobre os temas da profissão, mas isso é apenas porque gosto do que sou e do que faço e que tento fazer com o máximo de brio profissional possível. Acho que devemos defender a nossa classe com "unhas e dentes".

Jose Ricardo disse...

Desde quando uma profissão como Assistente Social pode querer criar uma Ordem? Condordo plenamente com o anonimo de cima. Essa faz-me lembrar os auto-intitulados "Directores Técnicos" nas IPSS! Tenham juizo em prole de uma profissão que deve ser exercida na verdadeira acepção da palavra!
Para mim é utopia esta proposta!
Mas a liberdade permite este tipo de "querer".
Considero a profissão uma das mais importantes para o futuro mas, exercida na realidade, sem pactos financeiros ou de qualquer tipo.
A não ser que a pessoa tenha escolhido esta profissão apenas como escape!
Nota: a msg vai ficar como anónimo porque nao estou registado!

S Guadalupe disse...

José Ricardo, as opninões têm fundamentos diversos, e ainda bem! Aconselho-te igualmente a leitura do parecer acima referido em resposta ao anónimo. Serve o paracer para esta profissão ou para quaisquer outras na mesma situação. É uma leitura interessante.

S Guadalupe disse...

opiniões... peço descilpa pela escrita apressada. O parecer é o de Vital Moreira (encontras no link "ordem dos assistentes sociais" aqui na lista ao lado)

marta disse...

António Duarte, identifico-me consigo, quando diz "Sou dado a discussões apaixonadas sobre os temas da profissão...". Provavelmente teremos que ser um pouco assim na nossa profissão. Por vezes somos os únicos a dar voz aqueles que menos a têm.
Marta

Anónimo disse...

cm quase assistente social discordo totalmente c o anonimo que diz que nao vale a pena os assistentes sociais terem uma ordem...Pois eu defendo que sim,sim , sim porque o serviço social é uma profissao tao digna como ser medico ou advogado ou outra coisa qualquer...na verdade penso que a maioria das pessoas nao sabe o que realmente é ser assistente social...trabalhar c pessoas é realmente muito dificil e exige muito de nos se queremos fazer o trabalho bem feito. Assim temos de nos unir e defender sempre e cada vez mais o serviço social.è apenas uma opiniao de quem ainda nao entrou a 100% no mundo complexo e desafiador do serviço social. Como nao estou registada vou como anonima mas o meu nome é Teresa e sou estagiaria de serviço social do ismt.

S Guadalupe disse...

Teresa (podes assinar como "other", não precisas de ser blogger)

a defesa de qualquer causa tem de ter argumentos fortes, seguros e bem consolidados. Não pode ser "porque sim". Para abrir ainda mais a discussão... vou tyentar deedicar espaço a cada um dos possíveis argumentos "Sim" e "não". É para já!

Rafael Paiva disse...

Jose Ricardo sabes lá tu o que dizes...

"Desde quando uma profissão como Assistente Social pode querer criar uma Ordem?"

Desde q exista vontade em criar uma, e se perceba o porquê desta...

"Condordo plenamente com o anonimo de cima. Essa faz-me lembrar os auto-intitulados "Directores Técnicos" nas IPSS!"

A mim cheirou-me ao auto-intitulados do guru do saber, o arauto da razão..que anda sabe...

"Tenham juizo em prole de uma profissão que deve ser exercida na verdadeira acepção da palavra!
Para mim é utopia esta proposta!"

Hello??

"Mas a liberdade permite este tipo de "querer"."

Nem mais, daí tenha tido esta liberdade em te responder...

"Considero a profissão uma das mais importantes para o futuro ..."

A sério?! Todos q defendem a ordem ainda nao se tinham aprecebido disso :D

"...exercida na realidade, sem pactos financeiros ou de qualquer tipo.
A não ser que a pessoa tenha escolhido esta profissão apenas como escape!"

É, eu escolhi este curso porque as vagas do curso superior técnico de estacionamento de automoveis no subsolo (GLP included) já estavam esgotadas, e tu?!

Rafael Paiva disse...

Para rematar ainda o meu post anterior, e fazendo um apanhado de alguns ditos q me ficaram na retina, porque razão os Assistentes Sociais nao podem ter ordem? por ser uma profissão ainda pouco reconhecida ou não ter uma identidade profissional tao forte quanto a dos médicos ou advogados? julgo q nao seja este caminho a tomar...especialmente quando somos tao vulneráveis quando toca à critica destrutiva da socieadade, quem nos defende? quem nos apoia?
Sou a favor do Sim à ordem por estas e outras razões tão importantes quanto esta, em especial no que toca na formação academica de algumas instituições, que na minha opinião, não sao dignas de leccionar este curso.
Contudo, concordo simultaneamente com um ou outro argumento do Não, embora estes na balança sejam esmagados claramente pelo Sim.
Bom trabalho.