11.4.07

mais uma oferta de emprego em condições indignas

O NetEmprego do IEFP publica uma oferta de emprego para Assistente Social que oferece condições inaceitáveis. No entanto, não tenho dúvidas que o desespero actual obrigará alguém a aceitar... na esperança vã que a situação melhore futuramente.

11 comentários:

joaquim disse...

Estes anúncios continuam a ser espantosos, principalmente pela falta de qualquer enquadramento. que tabela é que aplicam?

Anónimo disse...

Pois, não param de aparecer "oportunidades" destas a que eu, no maior desespero também concorro, apesar da falta de condições mas nem assim, nem para entrevista chamam. Num dos últimos, que esteve acessivel apenas por dois dias, tiveram 400 respostas... Assim é melhor emigrar!
Catarina

Fatima disse...

Na minha opinião essa e outras situações são responsabilidade da classe profissional que ainda não acordou em pleno para a necessidade da regulamentação da profissão de assistente social. Não basta ter formação académica para existir uma profissão.

Anónimo disse...

Acho que neste momento a dita classe profissioal ainda procura apenas ter lugar para trabalhar, o resto virá depois...enquanto se verificar a falta de emprego nesta área e o desinteresse geral pelo "social", dificilmente se evoluirá para esse nível de preocupação.
Catarina

S Guadalupe disse...

pois... não existe regulamentação, não existe tabela...

e têm a lata de exigir gente qualificada com experiência.

António Duarte disse...

Só digo isto: colegas da APSS, ACORDEM! Se querem mais sócios, mexam-se. É para isso que aceitaram fazer parte da associação, não foi? Para defender a classe. Mas não se tem visto nada. Porque não tiveram ainda a iniciativa de dialogar com o governo, com o Ministério do Trabalho (que por acaso também se diz da Solidariedade Social), com sindicatos, e até mesmo com a comunicação social? Enfim, haveria coisas interessantes para fazer. Porque não há denúncias por parte da APSS junto dos media como fazem outras profissões, contra as más condições de trabalho? A nossa classe não tem qualquer protecção, nem jurídica, nem social (!). Fartamo-nos de falar em protecção social para os outros, mas para nós nada. Depois a associação de que fala o anúncio deve ser uma IPSS. Pois bem, como admite o Instituto de Segurança Social, a existência de IPSS's subsidiadas pelo Estado a estipular regras destas? Onde está a fiscalização na aplicação das normas de funcionamento das IPSS's? Enfim, e quem paga são os técnicos, estando entregues a si mesmos.

sarinha disse...

Concordo, acho que há mesmo MUITO ainda por fazer p sermos considerados uma classe profissional...
Tentamos defender os direitos dos outros e mal erramos apontam-nos o dedo...e defenderem-nos? Quem defende?
Na comunicação social o Serviço Social é sempre apontado de forma negativa, esquecendo-se de analisar as condições de trabalho em q exercemos a nossa profissão...
Com salários destes, cm o do anúncio, onde está a motivação p um bom trabalho? Com milhentos processos em cima de um só técnico, onde está a qualidade do trabalho?
E os bons resultados que também acontecem na nossa área, onde estão destacados?
Na minha opinião, temos muito q fazer e temos acima de tudo de nos unir p defendermos a nossa profissão.
A questão que coloco (pela minha imaturidade e falta de experiência) é: por onde começar? (a petição pela ordem pode ser um bom começo...digo eu...mas será suficiente?)

Beatriz disse...

De facto parece-me que o caminho a percorrer ainda é longo!!! Mas, não nos podemos esquecer que existe um sindicato dos Técnicos de Serviço Social que em nada tem defendido os interesses da classe. Onde é que ele está quando são discutidas as tabelas salariais da União das IPSS's e da União das Misericórdias... (no entanto esta oferta encontra-se muito abaixo das tabelas referidas anteriormente).
Embora que, pelo que tenho verificado o sindicato permanece desconhecido para maior parte dos técnicos, quase não existe divulgação.
Por outro lado, APSS também tem mantido uma posição muito pacífica, ( pela minha experiência pessoal como sócia há cerca de 3 anos) apenas se limita a divulgar seminários. Desculpem-me o desabafo mas existem associações de outras classes profissionais que mantem posições mais activas.
Nem o site mantem actualizado!!
Ainda bem que a Sónia resolveu impulsionar algo para mover a classe. Os meus sinceros parabéns!

António Duarte disse...

A Sónia é que devia ser a presidente da APSS e do Sindicato! Teria o meu apoio!

S Guadalupe disse...

Deixem-me continuar por aqui... não me metam nisso.

No entanto, enquento sócia, tenho feito chegar as minhas inquietações, assim como os restantes deveriam fazê-lo.

S Guadalupe disse...

Caso alguém tenha copiada o conteúdo do anúncio para um documento quando este estava disponível, envie-me, por favor!