23.5.09

foi assim a minha agenda de ontem

Ontem fui a Viseu (ou melhor, a um local no meio do nada nos arredores de Viseu), ao Instituto Piaget, para ouvir EDGAR MORIN (na foto) e JEAN-LOUIS LE MOIGNE no Colóquio Complexidade, Valores e Educação do Futuro em torno de Edgar Morin.
Numa língua complexa e bela, definida pelo próprio como língua latina (algo que resulta do uso de vocábulos em francês, italiano, castelhano e português...), Morin abordou de uma forma deliciosamente simples o pensamento complexo como uma forma de enfrentar o desafio da complexidade.
Morin é um dos pensadores contemporâneos que talvez mais me tenha influenciado, pelo que nada trouxe de novidade na sua intervenção, mas a sua capacidade de articulação do pensamento é fascinante. Vale a pena ouvir e desejar que aquela doença seja contagiosa...
Le Moigne, num francês velocista, impediu que o ouvisse e acompanhasse sem me perder. Tenho-o mais acessível (ainda que nem muito!) nos livros! Ainda assim gostei de observar o diálogo analógico de Jean-Louis com Edgar.

1 comentário:

Luma disse...

Nos dias atuais, se aprofundar no pensamento já é uma desafio à complexidade, haja visto a superficialidade que impera!

Guadalupe, desculpe a mensagem pronta! Passei para avisar que acrescentei seu link à lista de participantes da blogagem coletiva "Em defesa da infância" e quando puder, acesse a lista para saber o que outros blogueiros estão repercutindo. Posteriormente essa lista estará também disponivel também no blogue "Diga não a erotização infantil". Beijus