25.1.10

continua a perseguição do CDS-PP ao RSI?

Já sabemos que Paulo Portas considera o RSI como uma fonte de "financiamento à preguiça". Estou curiosa para saber a posição do governo quanto a esta matéria. Teremos um orçamento "sopa dos pobres" depois do famoso "queijo limiano"?

3 comentários:

Duarte disse...

Ao que soube, o governo rejeitou o aumento das pensões mais baixas, as quais para o CDS seriam aumentadas em 7€, dinheiro que seria proveniente do aumento na fiscalização ao RSI. Terá então caído por terra a pretensão do CDS que teve a lata de propor 7€ (!) de acréscimo a pensões de 187€ e "afins". Agora o que o RSI precisa não é de aumentar a fiscalização, mas sim o número de equipas técnicas que promovam um acompanhamento construtivo e verdadeiramente psicossocial e que permita a celebração de acordos em tempo útil. O problema do RSI tem sido o insuficiente número de técnicos para a exigência da medida. Não são precisos mais fiscais, mas mais técnicos, em especial, assistentes sociais.

S Guadalupe disse...

Tenho andado com tanto trabalho que ando ALIENADA, isto é, não consigo ver nada de nada, companhar nada de nada...

Gilinha disse...

Não consigo concordar que o problema do RSI seja só e apenas a falta de técnicos. De facto esta escassez existe, mas ao limitarmos a explicação aí ficamos com uma explicação simplista para uma realidade complexa. Não será verdade que precisamos também de uma revisão e reflexão acerca da forma de atribuição do RSI? Com isto não quero dizer atribuir menos, mas sim que a contratualização mais efectiva, em que os termos sejam realmente discutidos e debatidos, em que os termos façam sentido. Em paralelo a isto é, de facto, necessário um reforço de técnicos, também para que o acompanhamento seja real, e não apenas um número.
Se a nossa classe conseguísse também reflectir o espírito e sentido do RSI - como sendo temporário e de Inserção - e não apenas como uma esmola, ou como um rendimento fixo e ad eternum.. aí talvez fosse possível fazermos melhor, e provar que estes senhores que perseguem o RSI como sendo a fonte de todo o mal têm que abrir os horizontes, e pensar mais fora de contas de multiplicar e dividir, e ter uma perspectiva integradora!!
apesar de tudo isto penso que se a fiscalização fosse levada a sério mas com sensibilidade (não nos termos que se discutem agora...), poderia levar a uma distribuição mais justa e eficaz do dinheiro público.